logo Prótese mamária e amamentação - lillo

Prótese mamária e amamentação

Compartilhe nas redes:
Publicado em Amamentação, Bebê

Com a popularização da cirurgia plástica, é comum que futuras mamães tenham dúvidas sobre a relação da prótese mamária e amamentação dos filhos. A boa notícia é que o desejo estético de algumas mulheres não necessariamente interfere na amamentação.

No entanto, é importante sempre conversar com especialistas de sua confiança sobre o assunto, como pediatras, obstetras e cirurgiões plásticos, pois cada caso é específico e apenas um profissional poderá te orientar de forma correta.

A princípio, a prótese apenas altera o tamanho e o formato da mama, não modificando sua estrutura. A sensibilidade dos mamilos pode ser uma das principais mudanças após o procedimento cirúrgico, deixando-os mais ou menos sensíveis que o normal.

Segundo o cirurgião plástico, Estéfano Luiz Favaretto, colocar a prótese atrás do músculo peitoral maior, sem contato com a glândula mamária, é o método menos invasivo. O médico ainda ressalta o quão importante é informar ao cirurgião se há a pretensão de ser mãe e quando pretende engravidar.

O ideal é que o intervalo entre a cirurgia plástica e a gravidez seja suficiente para que haja total recuperação e cicatrização da mama, impedindo, assim, que uma infecção comprometa a amamentação. “É proibido amamentar com a proximidade da cirurgia, sendo necessário um ano de intervalo, pelo menos”, afirma Estéfano.

Se após a amamentação, houver a deformação da prótese mamária, é necessário avaliar caso a caso, mas isso raramente acontece. Tudo depende do espaço em que ela está colocada – acima ou abaixo do músculo – e se a paciente teve algum tipo de mastite, mais conhecida como inflamação das mamas.

Quanto aos cuidados ao amamentar, de acordo com o pediatra Leo Barth, não há diferenças entre mamães com ou sem prótese. “Os cuidados ao amamentar são os mesmos de uma mãe que não tem prótese mamária. Uma boa higienização antes, amamentar nos dois seios, de dez a quinze minutos em cada seio, com intervalo de mais ou menos duas horas”, explica.