logo Como fazer o bebê arrotar? Confira nossas dicas - lillo

Como fazer o bebê arrotar? Confira nossas dicas

Compartilhe nas redes:
Publicado em Bebê, Cuidados com o Bebê

Colocar em pé e massagear as costas são dicas recorrentes quando o assunto é como fazer o bebê arrotar. Também chamado de eructação, o arroto não possui regras e varia de acordo com a criança. No entanto, algumas dicas podem ajudar os pais e os bebês em geral.

O arroto nada mais é do que a liberação de gases que estavam presos no estômago. Ao subir, o ar vibra a válvula localizada entre o esôfago e a boca. O barulho característico é amplificado pela garganta, que funciona como a caixa acústica de um violão. 

Arrotar, apesar de ser mal visto socialmente, é um processo natural de liberação de gases em excesso. Como fazer o bebê arrotar é extremamente importante para a saúde do recém-nascido, pois seu sistema digestivo ainda não está em pleno funcionamento. 

O ar da eructação pode chegar ao estômago de diversas formas: através da lactação, mastigação, bebidas gaseificadas, tabagismo, dentre outros. O acúmulo dos gases pode causar cólicas e até vômitos. Se não expelidos como arrotos, eles farão o trajeto do intestino e se transformarão em flatulência. 

Mas antes de tratarmos do arroto em si, é importante resumir como ocorre o processo de digestão no organismo humano, conhecendo seus principais componentes.

Boa leitura!

Sistema digestório

Os arrotos são gerados dentro do aparelho digestivo. Logo, entendê-lo pode dar uma compreensão maior sobre o processo. O sistema digestório é responsável pelo processamento de tudo aquilo que comemos ou ingerimos, absorvendo os nutrientes necessários para o funcionamento do corpo. Compõe o sistema os seguintes órgãos:

Sistema digestivo

Boca 

Responsável pela digestão mecânica dos alimentos – a mastigação. Ela garante que o alimento seja triturado em pedaços menores. Nessa etapa, existe também a digestão química dos carboidratos, através da amilase presente na saliva. 

Aqui, a língua ajuda a formar o bolo alimentar, mistura da saliva com os alimentos, além de auxiliar o caminho desse bolo até a faringe. 

Faringe 

Este órgão serve tanto para o sistema digestório quanto para o respiratório. No caso dos recém-nascidos, ela participa do transporte do leite ao esôfago. 

Esôfago

O esôfago é responsável por ligar a faringe ao estômago, sendo este o lugar que serve de passagem para os gases do arroto chegarem à boca.

Estômago  

No estômago, o bolo alimentar é digerido pelo suco gástrico; o músculo, por sua vez, também se contrai para melhor digestão. Esse suco se compõe por ácido clorídrico e pepsina (enzima que atua na proteína). 

Intestino delgado 

Este órgão é dividido em: duodeno, juno e íleo. Na primeira parte, o bolo alimentar, aqui chamado de quimo, recebe a bile e outras secreções para finalizar a digestão. Nos outros dois segmentos, ocorre a absorção de nutrientes através de seus tecidos específicos. 

Nessa região também há a formação de gases. 

Intestino grosso 

Chegamos ao trecho final do processo: a água termina de ser absorvida, formando a massa fecal. O intestino grosso também é segmentado – o mais conhecido é o reto, que termina no ânus, por onde as fezes são eliminadas. 

Outras glândulas  

  • Pâncreas: Responsável pela produção do suco pancreático, que auxilia na digestão. O pâncreas também produz insulina.
  • Fígado: Responsável pela excreção de bile, que também atua no processo digestivo. 
  • Glândulas salivares: Produzem saliva, que ajudam na digestão ocorrida na boca.  

Dicas para como fazer o bebê arrotar 

Como fazer o bebê arrotar

Após mamar, coloque a criança de pé

Deixar a criança de pé após a amamentação ajuda os gases a saírem pela boca. Se, após um tempo na posição, a criança não arrotar, é sinal de que ela não está com vontade. Alguns bebês têm dificuldade nesse processo; portanto, em tais situações, os pais podem procurar um médico, caso julguem necessário. 

Se o bebê estiver com vontade de arrotar, o barulho da eructação será ouvido em cerca de 5 minutos. 

Ficar sentado pode ajudar 

Assim como ficar de pé, essa posição ajuda a desobstruir o esôfago, auxiliando o bebê a arrotar. A criança sentada pode ficar de costas ou virada para a frente do responsável. O importante é sempre mantê-la amparada pelo braço de quem a segura. Massagem ou leves tapinhas nas costas também podem ajudar. 

Os pais devem ficar atentos 

Como fazer o bebê arrotar é uma dúvida para os pais de primeira viagem. Porém, os recém-nascidos impõem dificuldades ainda maiores. Com esse tempo de vida, a criança está apenas no início do aprendizado de movimentos de sucção, deglutição e respiração.

A falta de intimidade com essa coordenação pode fazer o bebê engasgar. Por isso, pais ou responsáveis devem sempre prezar pela tranquilidade na hora de amamentar mantendo-se atentos a possíveis sinais de engasgo ou qualquer anormalidade. 

Outro ponto para ligar o alerta é a necessidade de arrotar da criança. Caso percebam algumas caretas depois da lactação – ou choro durante ela – é um sinal que o bebê precisa arrotar. 

Nunca deite o bebê

Por conta da incipiência do sistema digestivo, colocar a criança deitada pode causar engasgos e refluxos. Por isso, após a amamentação, o ideal é manter o bebê posicionado para arrotar por 20 minutos, e, em seguida, colocá-lo para dormir, sem travesseiros ou cobertas muito pesadas. 

Massagem nas costas

Essa é uma das dicas mais comuns quando o assunto é como fazer o bebê arrotar. A melhor maneira de massagear as costas da criança é apoiar sua cabeça no ombro de quem está incumbido da função. Um pano no local pode ajudar caso aconteça regurgitação

Outra opção para se livrar dos gases no estômago, em alternativa ao arroto, é o soluço. Portanto, é normal a ação ocorrer várias vezes ao dia. 

Por que os bebês precisam arrotar? 

Nos tópicos acima, já explicamos o porquê, em geral, as pessoas arrotam. No entanto, cabe ressaltar o caso específico dos bebês para melhor compreensão desse cenário. 

Reação alérgica ou intolerância alimentar

Naturalmente, o corpo gera gases enquanto digere o alimento. Em caso de alguma intolerância a certo tipo de comida, o bebê pode ter mais gases na barriga do que o normal. A reação alérgica a laticínios é o sintoma mais comum. Se os pais desconfiarem da intolerância, um médico deve ser consultado. 

Ingestão de ar

Assim como os adultos, os bebês engolem ar durante as refeições. O processo é ainda mais comum quando a alimentação ocorre por meio de mamadeiras. A falta de coordenação entre os movimentos de sucção, deglutição e respiração pode piorar a ingestão de ar.

Digestão

Esse é o processo mais comum pelo qual gases se formam no corpo. A decomposição do alimento por bactérias do intestino grosso é a grande responsável. 

Refluxo em bebês

Bebê regurgitando

Após mamar, é comum que o líquido ingerido pelo bebê volte através do golfo – por isso, é importante o paninho no ombro na hora de fazê-lo arrotar.

Enquanto a eructação caracteriza-se pelo retorno dos gases pelo esôfago, o refluxo corresponde ao retorno do conteúdo que estava no estômago. Os processos estão intimamente ligados, pois a falta de arrotos pode ocasionar o refluxo.

Em geral, a golfada não significa maiores problemas. Porém, se for acompanhada de choro excessivo, irritabilidade, engasgo, sono agitado e mais vômitos, pode significar um quadro mais grave.  

É imprescindível que os pais fiquem alerta sobre esses sinais e procurem um médico pediatra, caso os exemplos descritos acima ocorram. 

Confira agora dicas para evitar casos de refluxo:

Regule os horários de alimentação do bebê

Se os pais conseguirem alimentar a criança antes que ela sinta muita fome, as chances de refluxo diminuem. Isso porque, quando esfomeado, o bebê mama muito e com pressa, fazendo com que ele engula com mais pressa, o que pode causar arrotos e refluxo.

Mantenha a calma

Na hora de como fazer o bebê arrotar, essa dica também é importante, e pelo mesmo motivo. As crianças ainda estão aprendendo a mamar; portanto, um ambiente agitado pode dificultar ainda mais o processo.

Doenças ligadas ao arroto 

Raramente o arroto quer dizer algo mais grave, como doenças, mas existem exceções. É o que você verá nesta seção.

Hérnia de hiato

Essa condição faz com que uma parte do estômago pressione o diafragma. A hérnia é formada quando a tal parte passa pela região do hiato esofágico – ou seja, uma abertura. Isso faz com que o ácido presente volte para o esôfago mais facilmente, causando refluxo.

Entre os sintomas estão os arrotos, azia, tosse seca, mau hálito e vontade de vomitar. Caso sejam percebidos, é preciso recorrer a um médico. 

Estômago normal x estômago com hérnia de hiato

Gastrite

A gastrite é a inflamação das paredes internas do estômago. A maioria dos casos de gastrite estão relacionados a uma bactéria que se instala debaixo dos mucos do estômago, cujos efeitos costumam ser arrotos, dor de barriga, enjoo, azia etc.

Refluxo gastroesofágico

O refluxo nada mais é do que o retorno do conteúdo do estômago para o esôfago. Trata-se de um movimento involuntário, causado por: alteração no esfíncter (uma válvula que impede a volta da comida do estômago); fragilidade da estrutura muscular; ou pela própria hérnia de hiato. 

Entre os sintomas, destacam-se arrotos, azia, dor torácica, tosse, e até doenças respiratórias como a pneumonia. O tratamento pode ser clínico, com remédios para diminuir a produção de ácido, ou cirúrgico, caso seja necessário confeccionar uma válvula anti refluxo.