logo Massagem perineal: o que é, e como fazer - lillo

Massagem perineal: o que é, e como fazer

Compartilhe nas redes:
Publicado em Dicas Lillo, Gravidez, Preparativos

Uma das boas formas de aumentar as chances de garantir um parto normal é realizar a massagem perineal com frequência.

A massagem perineal é um procedimento feito na região íntima da mulher, cuja prática ajuda a alongar os músculos vaginais e o canal do parto, de modo a facilitar a saída do bebê, ou seja, aumentando também as chances para que a gestante escolha o tipo de parto que mais deseja. 

Esse exercício pode ser realizado em casa, de preferência sob orientação de um ginecologista ou obstetra. 

Além do alongamento dos tecidos, massagear o períneo contribui para aumentar a lubrificação do local, auxiliando a dilatação. 

Se analisarmos tudo o que envolve o processo de gravidez, a massagem perineal é capaz de assegurar benefícios físicos e emocionais da gestante e, consequentemente, do bebê que carrega.

Função e importância do períneo

Antes de tudo, importante explicarmos bem o que é o períneo, uma zona de grande importância para o corpo feminino, mas cujo significado pode não estar na ponta da língua de muita gente.

Pois bem, o períneo é uma região localizada entre o ânus e a vagina, e que dá sustentação aos órgãos pélvicos: bexiga; útero; reto; intestino, bem como toda a parte baixa do abdômen (pelve).

Durante a gestação, o períneo é bastante exigido devido ao peso do bebê, sendo essencial também na hora do parto, caso este seja do tipo normal. Isso porque é através do períneo que o bebê deixa o ventre materno.

Essas breves informações por si só bastam para percebermos a importância do períneo e a necessidade de mantê-lo fortalecido. Para isso, a receita primordial é básica e previsível: cuidar da saúde de forma geral.

Mulheres com obesidade, por exemplo, muito provavelmente terão a musculatura perineal enfraquecida.

Outras condições que colaboram para esse cenário são atividades físicas de intenso impacto e, como forma mais imponderável, prisão de ventre.

Mas, perceber é uma coisa; a outra é saber o que fazer para manter a região bem cuidada. 

Métodos para fortalecer o períneo

Independentemente de estar grávida ou não, o períneo fortalecido deve ser um dos fatores levados em conta no cuidado com o corpo. Seja para manter a saúde íntima em dia, ou para, aí sim, preparar o terreno para o bebê nascer sob as melhores condições possíveis.

Separamos abaixo dois métodos para exercitar a região. Confira!

Exercícios de Kegel

Criados pelo ginecologista Arnold Kegel na década de 1940, esses exercícios se notabilizam pela eficiência no combate à incontinência urinária. Também ajudam a fortalecer a musculatura pélvica, além de aumentar a circulação de sangue no local.

Para gerarem resultados positivos, precisam ser feitos diariamente, ao menos 3 vezes por dia. Você pode utilizar aquelas bolas grandes de ginástica como auxílio.

Também é importante saber qual músculo deve ser ativado para que o fortalecimento da região do períneo ocorra de modo eficaz.

A seguir, listamos as etapas a serem seguidas.

  • Esvaziar a bexiga;
  • Identificar o músculo pubococcígeo (o que pode ser feito ao interromper o jato de xixi, por exemplo);
  • Voltar a contrair esse músculo após urinar para se certificar que sabe contrair o músculo corretamente;
  • Realizar 10 contrações seguidas do músculo, evitando acionar outro músculo;
  • Relaxar por alguns instantes;
  • Retomar o exercício, fazendo pelo menos 10 séries de 10 contrações.

Já em relação à gravidez, os exercícios de Kegel são úteis para, além de controlar a urina, melhorar o contato íntimo, servindo de treino para o parto normal, que teriam suas dores diminuídas, bem como o tempo de trabalho de parto.

Mulher realizando exercícios de Kegel

Pilates

Também chamado de contrologia, este método criado pelo alemão Joseph Pilates em 1914 ganhou enorme proporção dada sua comprovada eficácia para o condicionamento físico humano. Ele age principalmente na prevenção e tratamento contra incorreções na coluna vertebral.

Algumas dos benefícios trazidos pelos exercícios são:

  • Melhora da postura
  • Mais prazer na relação sexual
  • Aumento do tônus muscular
  • Maior mobilidade articular
  • Alívio de tensões
  • Foco na respiração

No período gestacional, a mulher passa por diversas transformações de ordem vascular, cardiológicas, muscular e, sobretudo, hormonais. Um desses hormônios é a relaxina, produzida pelo corpo lúteo e pela placenta, e cuja função é promover a flexibilização necessária aos ligamentos e articulações para a hora do parto.

O Pilates atua como forte aliado no trabalho de fortalecimento muscular, ajudando a evitar problemas de postura e as dores causadas pela gestação. Além disso, o método ativa o assoalho pélvico e exercita a mobilidade do quadril, o que ajuda o encaixe do bebê dentro da barriga.

Passo a passo para fazer a massagem perineal

Se você realmente pretende fortalecer essa região, o ideal é fazer a massagem perineal todos os dias a partir da 30ª semana de gestação. O exercício deve durar aproximadamente 10 minutos.

Confira abaixo os oito passos fundamentais para a tarefa:Lavar as mãos e passar uma escovinha por baixo das unhas, que devem estar bem curtas, o máximo possível;

1) Buscar uma posição confortável, apoiando as costas em almofadas macias;

2) Aplicar um lubrificante para facilitar a massagem. Pode ser à base de água ou um óleo de amêndoas, por exemplo;

3) Colocar esse lubrificante nos dedos polegar e indicador, além da região do períneo e na entrada da vagina;

4) Introduzir cerca de metade do polegar na vagina, e empurrar o tecido perineal para trás, em direção ao ânus;

5) Massagear lentamente a parte inferior da vagina, em forma de “U”;

6) Manter cerca de metade dos 2 polegares na entrada da vagina e pressionar o tecido perineal o máximo que conseguir, até sentir dor ou queimação, mantendo essa posição por 1 minuto. Repetir o processo de duas a três vezes;

7) Pressionar da mesma forma em direção às laterais, mantendo também 1 minuto de estiramento.

8) Em certas situações, a massagem perineal é recomendada também ao período pós-parto. Caso a gestante tenha passado por uma episiotomia, ou seja, uma incisão no períneo para aumentar o canal de parto, a massagem ajuda a manter a elasticidade dos tecidos.

Além disso, o procedimento serve para alargar novamente a entrada da vagina, bem como dissolver os pontos de fibrose que podem ter se formado após a cicatriz da episiotomia. Tal retomada possibilita a recuperação de um contato sexual sem dor.

Nesse caso, a massagem costuma ser dolorida. Por isso, está liberado o uso de uma pomada anestésica cerca de 40 minutos antes do início. Mas não se esqueça de checar as contraindicações e os possíveis efeitos colaterais, como alergia e outras reações.

Em suma, a massagem perineal é o método mais simples de auxiliar ou tentar minimizar o risco de lesão durante o parto vaginal.

Além dela, uma preparação eficaz para o parto requer outros exercícios para o assoalho pélvico, com foco na coordenação motora e na autopercepção (chamada também de “propriocepção”) desses músculos.

Portanto, é fundamental consultar um fisioterapeuta especialista e buscar um plano completo de tratamento de acordo com o seu caso.

Como fazer a massagem perineal com o EPI-No

Se no começo do texto dissemos que muita gente pode não conhecer a palavra “períneo” e suas derivadas, imagine quando lemos o termo “EPI-No”. Afinal, o que quer dizer?

Trata-se de um pequeno equipamento, que funciona de forma similar aos aparelhos medidores de pressão arterial. Ele é composto por um balão de silicone que deve ser introduzido na vagina e inflado manualmente pela mulher.

Dessa forma, a mulher possui total controle sobre o objeto, determinando até que nível esse balão irá encher para alargar os tecidos.

Para utilizar o EPI-No, é preciso aplicar um lubrificante na entrada da vagina e no balão de silicone. Depois, a mulher deve insuflar apenas o suficiente para que ele consiga entrar no órgão.

Após isso, encha novamente o balão, até que ele se expanda e afaste suavemente as laterais da vagina.

O equipamento pode ser utilizado de uma a duas vezes ao dia a partir da 34ª semana de gestação, estágio em que tanto mãe como bebê estão completamente seguros em relação à gravidez, salvo exceções.

Para que o EPI-No surta efeito positivo, é importante que ele seja usado todos os dias. Assim, o canal vaginal terá um aumento progressivo, facilitando o nascimento do bebê. O EPI-No pode ser comprado pela internet, ou até ser alugado por algumas doulas.

Mas lembre-se. Reforçamos aqui também a importância de se consultar um fisioterapeuta para aplicar esse produto. É ele quem analisará o seu caso e definirá a maneira correta de realizar o exercício.

Além disso, salientamos que a preferência pelo trabalho mais manual possível; isto é, a massagem tradicional, usando suas mãos, fazendo os movimentos em “U” e dosando seus toques. Sem interferências, é melhor.

EPI-No: alternativa para massagem perineal

Com essas informações, você certamente saberá como fazer a massagem perineal de maneira correta. Lembre-se de, estando grávida ou não, manter a região do períneo sempre fortalecida.

Faça exercícios regularmente e busque orientações com especialistas sempre que surgir uma dúvida.