///Como lidar com a prisão de ventre do bebê

Como lidar com a prisão de ventre do bebê

Publicado em Saúde do Bebê em 09/03/2016

O intestino preso do bebê, dor e dificuldade para fazer cocô são sinais de constipação, também conhecida como prisão de ventre. O desconforto acontece porque quando ele tenta eliminar as fezes o cocô está mais duro do que de costume.

O intestino preso do bebê também pode ter relação com a genética: se a mamãe, a vovó ou o papai tem constipação, o bebê tem chances de ter também. A prisão de ventre também pode ser motivada por assaduras ou fissuras no ânus. Isso faz o bebê ter medo de sentir dor ao fazer cocô. Se depois de realizar as técnicas a seguir o bebê continuar chorando ou demonstrando incômodo, a mamãe deve procurar o pediatra.

Para amenizar a prisão de ventre, uma boa alternativa é dar um banho morno no bebê. Isso relaxa os músculos e ajuda no funcionamento do intestino. Outra técnica eficaz na maioria dos casos é a massagem, pois auxilia na digestão dos alimentos. Ela deve ser feita na barriga do bebê, no sentido horário, com uma pressão leve, para ajudar a liberar os gases e a aliviar o desconforto.

Outro movimento que promove o trabalho intestinal é dobrar as perninhas do bebê e levá-las em direção ao abdômen, com cuidado. A massagem, além de melhorar a prisão de ventre, alivia as cólicas do bebê, libera os gases presos, melhora o sono, diminui o choro, entre outros benefícios.

Há alguns exercícios da shantala, técnica para acalmar os bebês, próprios para fortalecer o funcionamento do intestino.

Antes de iniciar a massagem no bebê, certifique-se de que está livre de anéis, pulseiras e relógio. Para deixar o momento ainda mais agradável, utilize um óleo para a pele do bebê:

  • Com as perninhas dobradas e joelhos na direção da barriga, gire as perninhas do bebê juntas no sentido horário, como se estivesse massageando a barriga dele.
  • Com os joelhos ainda dobrados em direção ao abdômen, role-o de um lado para outro, com cuidado, e depois estique as pernas.

O toque da massagem ajuda ainda a estreitar os laços entre mãe e filho e também pode ser feito por outros membros da família, como o papai ou a vovó. Essa proximidade é importante para o desenvolvimento emocional da criança. Já a mamãe passa a se sentir mais confiante nos cuidados com o bebê.