Publicado em Estou grávida Gravidez em 13/09/2018

Você sabia que existem tipos de mamilos? Ou melhor, você conhece qual é o tipo do seu mamilo? Se a resposta foi não, calma que isso acontece com grande parte das mulheres. Os seios femininos possuem tamanhos e formas diferentes. Porém, os mamilos são classificados em alguns tipos principais, são eles: normal ou protruso, pequeno ou planoe invertido ou pseudoinvertido, onde grande parte das mulheres não se atentam a este detalhe até a chegada da gravidez.

O mamilo corresponde a maior parte da aréola e tem importância fundamental na vida das mulheres. Após a gestação, o mamilo passa a ter influência fundamental na hora da amamentação. “A principal função dos mamilos está na amamentação. Trata-se de um órgão que possui terminações nervosas e sensoriais, que também têm a capacidade erétil de responder às funções de estímulos sexuais e ao frio”, explica a ginecologista e obstetra Cecília Roteli.

Por isso, é muito importante que cada mulher conheça muito bem o próprio seio e seu tipo de mamilo, porque além de fundamental para a saúde, colabora para que as mamães possam se preparar melhor para a chegada do bebê, tomando algumas precauções que podem ajudar na hora deste momento tão especial.

Conheça quais são os principais tipos de mamilos e saiba como identificar qual é o seu:

Mamilos normais ou protrusos são sempre saltados alguns milímetros da aréola e, como o próprio nome já indica, ele é o mais comum nas mulheres. Este tipo de mamilo fica rígido sem a necessidade de estímulos e se for muito largo pode haver a possibilidade do bebê fazer a “pega” de maneira errada, sugando apenas o mamilo. Uma boa dica para essa situação é estimular a aréola antes de amamentar para que o bico esteja macio, facilitando na hora da amamentação.

Mamilos pequenos ou planos possuem a aréola no mesmo nível do bico. Neste caso, as mamães podem ter uma certa dificuldade inicial para amamentar, já que o mamilo representa uma superfície plana. O recomendado é que as mulheres, antes da amamentação, segurem a aréola com os dedos, de forma que forme um mamilo. “Existem muitos mitos e verdades relacionados à questão da amamentação. Um desses mitos está relacionado aos mamilos pequenos de que as mulheres não conseguem amamentar ou a produção do leite é menor. Isso não existe!”, explica a obstetra.

Mamilos invertidos ou pseudoinvertidos são aqueles que estão posicionados para dentro da aréola, podendo apresentar-se com a região areolar mais flexível. O mamilo invertido costuma ser menos comum e, ao ser estimulado, pode ficar proeminente. Ao contrário do invertido, o pseudoinvertido responde aos estímulos de forma oscilante e de acordo com a elasticidade do seio de cada mulher. As mulheres com esse tipo de mamilo podem encontrar certa dificuldade na hora da amamentação porque o leite não sai com facilidade. Neste caso, o recomendado é que as mamães iniciem a amamentação o quanto antes, pois na fase do colostro (primeiro leite produzido após o parto), as mamas estão mais macias, ou utilizar a mesma técnica usada no caso dos mamilos planos, onde usa-se os dedos para “pincelar” o bico.

“O cuidado é algo fundamental, já que durante o pré-natal e a gestação nós orientamos para que as mamães sempre tentem exteriorizar o mamilo para dar a função do bico. Então, uma dica é massagear a pele do mamilo com movimentos gentis. Assim, elas conseguem colocar os mamilos que estão retraídos para fora”, finaliza Roteli.

Como identificar os tipos de mamilos

Para saber qual tipo de mamilo é o seu, há uma outra técnica bem simples: com a ajuda do polegar e do dedo indicador, faça uma espécie de C sobre a região da aréola. Caso o mamilo não sofra alteração, então ele é normal; caso se volte para dentro, ele é invertido. Se não acontecer nada mesmo quando estimulado, é plano.

Ainda está com dúvida sobre o formato dos seu mamilo? Consulte o seu profissional de saúde para maiores informações!