Publicado em Tentantes em 12/05/2016

Todo casal com diagnóstico de infertilidade e que deseja engravidar deve ser encaminhado para tratamento. A infertilidade e a idade das mulheres são os principais fatores para a escolha de um tratamento. Os tratamentos em reprodução humana podem tratar a infertilidade de duas maneiras:

1) Corrigindo a causa da infertilidade por meio de cirurgia ou medicação, sendo a escolha principalmente para casais em que a mulher é jovem, o tempo de infertilidade é curto e a causa da infertilidade é identificável e corrigível.
2) Possibilitando a gravidez por meio de técnicas de reprodução assistida.

Técnicas de Reprodução Assistida

1- Técnicas de baixa complexidade: coito programado e inseminação intrauterina

São os tratamentos em que o espermatozoide encontra o óvulo de maneira natural, dentro do corpo da mulher. Essas técnicas mais simples compreendem basicamente o coito programado e a inseminação intrauterina.

Como são feitas?

A mulher usa uma medicação que fará seus ovários estimularem o desenvolvimento de mais de um óvulo (preferencialmente apenas dois), que será acompanhado, durante aproximadamente 10 dias, através de exames de ultrassonografia seriada, até que os óvulos fiquem maduros. No coito programado o casal é orientado a ter relação sexual após a ovulação; na inseminação o sêmen do marido é preparado e injetado dentro do útero da mulher.

Vantagens

• Tratamento que mais se assemelha à gestação espontânea;
• Mais barato.

Desvantagens

• Menores chance de gravidez.

Não é tratamento preferencial para

• Mulheres com mais de 35 anos;
• Casais com mais de 5 anos de história de infertilidade;
• Infertilidade causada por alteração nas trompas uterinas;
• Infertilidade causada por alteração nos espermatozoides.

Indicado principalmente para

• Infertilidade causada por alteração da ovulação (síndrome dos ovários policísticos, por exemplo);
• Alteração leve dos espermatozoides.

Chance de gravidez

• Aproximadamente 10% por tentativa em condições ideais no coito programado. A inseminação tem uma taxa de sucesso próxima de 15%.

2- Técnicas de alta complexidade: fertilização in vitro

São os tratamentos em que a fecundação (encontro do óvulo com o espermatozoide) acontece em laboratório, fora do corpo da mulher. Compreende as técnicas de fertilização in vitro, conhecidas popularmente como “bebê de proveta”.
Nesse tipo de tratamento a mulher usa medicação com o objetivo de fazer seu ovário estimular o desenvolvimento de diversos óvulos. Esse desenvolvimento é acompanhado por ultrassonografia, porém a mulher não ovula, sendo os óvulos coletados diretamente dos ovários para o laboratório, onde a fecundação é realizada. Os embriões formados são então colocados no interior do útero 3 ou 5 dias após a fecundação.

Vantagens

• Tratamento com maior taxa de sucesso;
• Possibilidade de congelamento de embriões para tentativas futuras.

Desvantagens

• Custo mais alto;
• Mais procedimentos invasivos;
• Doses maiores de medicação.

Indicado principalmente para

• Infertilidade por alteração de tubas;
• Alterações mais graves de espermograma;
• Mulheres com mais de 35 anos;
• Falha em tratamentos de baixa complexidade.

Chance de gravidez

• Varia com a idade da mulher.

sucesso FIV

Fábio Aiello Padilla
CRM: 112.036
Ginecologista e Obstetra especialista em Reprodução Humana
Clínica Espaço M.