Publicado em Fases da gestação em 01/08/2016

A gravidez está quase na reta final, mamãe! No oitavo mês de gestação, que é o período entre a 32ª e a 36ª semana de gestação, o desenvolvimento do bebê está praticamente completo. Nessa fase, os pulmões do bebê ainda não estão completamente maduros. Por isso, antes das 37 semanas, o nascimento do bebê é considerado prematuro. Em compensação, os cabelos dele não param de crescer! O bebê já tem sobrancelhas, cílios e unhas formadas. Os cinco sentidos (visão, audição, paladar, tato e olfato) estão aguçados. O cérebro está a todo vapor e os músculos ganham mais força.

Nesse período, o bebê passa a maior parte do tempo dormindo e, durante a soneca, ele sonha. Os sonhos já acontecem na barriga da mamãe porque a memória do bebê está avançando cada vez mais. Quando acordado, percebe a luz e pisca. O bebê também presta atenção na rotina da mamãe e repara que em determinado período do dia ela está mais ativa. Em relação ao tamanho do bebê, no oitavo mês de gestação ele mede aproximadamente entre 40 e 45 cm e pesa por volta de 2,8 kg. Porém, essas medidas variam de bebê para bebê.

O bebê continua crescendo na barriga da mamãe e, por conta da falta de espaço, se mexe menos. Mas, quando o bebê se mexe, a mamãe sente-o dentro da barriga com mais intensidade. No oitavo mês de gestação, ele passa a ter gordura sob a pele, que ajuda a manter a temperatura do corpo. É a terceira e última camada da pele, chamada de hipoderme. O ganho de peso, cerca de até 250 gramas por semana, também ajuda a regular a temperatura do corpo para o seu nascimento. Afinal, está quase na hora!

Com 36 semanas de gestação, o bebê começa a se preparar para o momento do parto e fica na posição cefálica, ou seja, de cabeça para baixo, posição que favorece o parto normal. Quando isso acontece, a futura mamãe sente mais vontade de fazer xixi, porque essa posição deixa a bexiga comprimida. Em contrapartida, com o bebê posicionado para baixo, a mamãe sente mais facilidade para respirar. É importante ressaltar que, mesmo no fim do oitavo mês de gestação e até a hora do parto, a criança pode continuar sentada, o que pode resultar na necessidade de um parto cesário.

Apesar da correria dos preparativos para a chegada do bebê, a futura mamãe deve continuar com uma alimentação balanceada e bastante nutritiva. Um cardápio balanceado é indispensável para  controlar o ganho de peso e amenizar o inchaço no final da gravidez. O ideal é optar por alimentos saudáveis e se alimentar de maneira regular. Além disso, beber água e comer alimentos ricos em fibras ajudam no bom funcionamento do intestino, o que proporciona mais bem-estar à futura mamãe. No oitavo mês, caminhadas leves são bem-vindas.

A partir do oitavo mês de gestação, a ida ao obstetra é semanal, para melhor acompanhamento do bebê e da reta final da gravidez. A licença-maternidade de 120 dias também pode ser solicitada a partir dessa fase, por escolha da mamãe ou pedido médico. Uma das preocupações nesse período é a ameaça de parto prematuro. Toda mamãe deve ficar atenta aos principais sintomas de parto prematuro: corrimento, sangramento, dores nas costas, náusea, vômito, diarreia e contrações mesmo sem dor. Caso tenha um ou mais desses sinais, procure seu obstetra e siga as orientações.