Publicado em A chegada do bebê Gravidez em 18/12/2017

LILLO-bebe-blog (1)

Chora, se acalma. Um minuto depois, chora de novo. O seu bebê chora muito, mamãe? Calma, isso tem explicação: o choro é a primeira forma de comunicação do recém-nascido. O bebê chora para expressar fome, sono, frio, calor, falta ou exagero de estímulos, cólica, fralda suja e até mesmo sem nenhum motivo aparente. Ele chora apenas por chorar! A partir do quarto mês de vida, o pequeno começa a descobrir outras formas de se comunicar, como o balbucio (emissão de sons sem significado), e o choro deixa de ser seu único recurso.

 

O choro constante nos primeiros meses de vida acontece porque o bebê está se adaptando ao mundo fora do útero. Na fase chamada de exterogestação, o recém-nascido passa por uma transição. Afinal, na barriguinha da mamãe, ele se sentia quentinho, seguro, aconchegado e alimentado. Agora, ouve barulhos e vozes com mais exatidão, sente frio durante a troca de fraldas e no banho, enxerga luzes que incomodam. Essas e outras mudanças (da vida uterina para a vida externa) influenciam no choro constante do seu bebê.

 

Choro do bebê: como saber se é cólica?

Nos primeiros 14 dias de vida, o bebê não tem cólica, então, o choro pode ter qualquer outro motivo. Depois de duas semanas após o nascimento é que começam as temidas cólicas. Mas calma, mamãe: a cólica faz parte da vida dos bebês e vai passar. O choro por motivo de cólica costuma ser bem intenso, com perninhas em movimento e rostinho vermelho. Para aliviar as cólicas do bebê, uma boa alternativa é fazer uma massagem circular na barriguinha usando um óleo apropriado para a pele sensível do seu filho. O movimento de bicicleta com as pernas também ajuda a eliminar os gases que causam o desconforto.

 

Choro do bebê: quando se preocupar?

Chorar várias vezes ao dia é normal nos primeiros meses. Agora, se o choro do bebê não permite que ele durma ou seja alimentado normalmente, o sinal é de alerta. O choro excessivo pode indicar algum problema de saúde, principalmente se o bebê estiver com dor ou febre. Mas os papais não precisam aguardar a febre para levá-lo ao pronto-atendimento. Se o bebê apresentar os sintomas citados, ou seja, não comer, não dormir e só chorar, é melhor buscar atendimento médico o quanto antes.