Publicado em Relacionamento de Irmãos em 03/01/2017

Para ter uma convivência saudável e manter o relacionamento entre irmãos de pais separados é indispensável a dedicação por parte de todos da família. Uma das situações mais comuns é o ciúme entre irmãos, principalmente quando eles não moram juntos.

O psicólogo e hipnoterapeuta Bayard Galvão esclarece que os principais conflitos entre meios-irmãos estão relacionados à atenção, ao ciúme e até mesmo ao sentimento de inveja. “A criança pode ficar agressiva quando acredita que o irmão está recebendo mais amor. Para amenizar esses sentimentos por parte dos filhos, é necessário ter cuidado para tratá-los da mesma forma. É importante, ao tratar dois ou mais filhos com a mesma conduta, lembrar das particularidades de cada um. Tem filho que precisa de mais elogios para se sentir constantemente motivado, por exemplo. Assim, é possível equilibrar as relações entre eles e a família”, complementa Galvão.

Bayard ressalta que o mais essencial no relacionamento entre meios-irmãos é a harmonia. “Os pais devem ajudar nesta tarefa. O comportamento mais comum e esperado é que ambas as crianças possam ser queridas pelo casal. Se mesmo assim a relação entre irmãos continuar comprometida, é preciso ajuda de um profissional”, aconselha o psicólogo.

Estimule o relacionamento com brincadeiras

Uma forma de aproximar os meios-irmãos é por meio de brincadeiras que estimulam a sociabilidade e a comunicação entre eles, já que não tiveram a oportunidade de conviver juntos desde o nascimento. Para “quebrar o gelo”, os papais podem propor uma brincadeira simples: “quem segura o riso por mais tempo?”. Para começar, coloque um irmão na frente do outro e lance o desafio! Certamente, esta brincadeira vai render muitas gargalhadas e aproximá-los mais facilmente.

Fonte: Bayard Galvão é psicólogo clínico, especialista em hipnoterapia e presidente do Instituto Milton H. Erickson de São Paulo.