Publicado em Pais em 03/10/2016

Ansiedade, estresse, alimentação desequilibrada e falta de exercícios físicos podem interferir no órgão reprodutor feminino e, consequentemente, na dificuldade de ovulação. A infertilidade é um problema que atinge 15% dos casais; o casal só pode ser considerado infértil após ausência de gravidez depois de 12 meses de relações sexuais regulares sem uso de método anticoncepcional. A gravidez tardia, obesidade ou baixo peso, exposição a doenças sexualmente transmissíveis, tabagismo e consumo elevado de álcool são fatores que podem interferir e até ocasionar a infertilidade no homem ou na mulher.

De acordo com o ginecologista Dr. Joji Ueno (CRM-48.486), doutor em medicina pela Faculdade de Medicina da USP, responsável pelo setor de Histeroscopia Ambulatorial do Hospital Sírio-Libanês e Diretor na Clínica Gera, para descobrir a causa da infertilidade o casal é submetido a uma série de exames e entrevistas.

“Após um ano sem conseguir engravidar, o casal deve procurar assistência médica para uma avaliação adequada. Durante esse período, analisamos o estilo de vida do casal, hábitos alimentares, nível de estresse, ansiedade e como o homem e a mulher estão lidando com a dificuldade de concepção”, explica o médico.

As principais causas da infertilidade na mulher são problemas na ovulação, alterações tubárias, no útero ou endometriose. A formação dos espermatozoides e a dificuldade na ejaculação são responsáveis pela infertilidade masculina.

O ginecologista Dr. Joji Ueno alerta para outros fatores relacionados ao estilo de vida.

“O tabaco pode interferir na menstruação da mulher e causar anomalias. O elevado consumo de álcool pode afetar a produção de esperma. A combinação desses fatores de risco pode reduzir ainda mais a fertilidade. A solução para esse problema é deixar de fumar e evitar consumir quantidades exageradas de bebidas alcoólicas. A mudança desses hábitos pode ajudar a aumentar as chances de gravidez”, destaca o médico.

Fatores que influenciam na gravidez

A idade da mulher pode interferir diretamente na fertilidade. Normalmente, as mulheres são mais férteis entre os 19 e 26 anos; nesse período, elas têm mais chances de engravidar, principalmente no dia fértil. Entre os 27 e 34 anos, a fertilidade feminina é reduzida para 40%. Entre os 35 e 40, a chance é de apenas 30%. Já a idade do homem não tem muita influência na fertilidade.

“As mulheres são mais férteis por volta dos 28 anos, quando apresentam 25% de chances de engravidar por mês. Depois disso, as chances vão diminuindo a cada ano e os óvulos vão perdendo o seu conteúdo genético, o que pode provocar alguma falha durante uma gestação tardia e resultar em uma má-formação do bebê”, esclarece o ginecologista.

Exercícios físicos

Outro fator que pode beneficiar a gestação é a prática de exercícios físicos, porém, o seu excesso pode interferir na capacidade reprodutiva.

“Mulheres que praticam qualquer atividade física durante 7 horas semanais apresentam uma taxa maior de infertilidade. Nos homens, a prática de atividades físicas não parece ter influência, exceto quando feita com bicicleta. Homens que ficam mais de 5 horas por semana sentados na bicicleta costumam apresentar uma qualidade pior do sêmen”, alerta o Dr. Joji Ueno.

Alimentação

Uma dieta equilibrada é fundamental para a saúde e também para a reprodução humana. É importante manter no cardápio todos os tipos de alimentos, inclusive os nutrientes com função antioxidante, que são essenciais para combater os radicais livres e preservar a fertilidade. O ideal é consumir no dia a dia frutas vermelhas como morango, uva e tomate e vegetais.

Fatores psicológicos

“Apesar de não interferir no tratamento de fertilidade, outro fator que influencia a infertilidade é o estresse. Ele bloqueia a comunicação hormonal e interfere no processo de ovulação das mulheres. Nos homens, causam problemas de impotência, dificuldades de ejaculação e alterações na qualidade dos espermatozoides”, ressalta o ginecologista Dr. Joji Ueno.

Obesidade e magreza

A magreza em excesso e a obesidade são fatores que contribuem para a diminuição da fertilidade. Mulheres com IMC (Índice de Massa Corpórea) maior que 27 kg/m2 apresentam ciclos sem ovulação com mais frequência. A qualidade do sêmen masculino também se encontra alterada em homens com excesso de peso.

Tabagismo

O tabagismo na mulher interfere na implantação do óvulo concebido. No homem, o cigarro está associado à redução na qualidade do sêmen, incluindo alterações nos níveis hormonais e na função espermática. A interrupção do cigarro pode melhorar a qualidade do sêmen.

Álcool

O consumo exagerado de álcool na mulher pode provocar uma alteração no funcionamento normal do sistema regulador cerebral, que é responsável pela produção dos hormônios femininos. No homem, o álcool gera uma interferência direta na concepção e implantação.

Aumente as chances de engravidar

O ginecologista Dr. Joji Ueno elaborou algumas dicas para você conseguir reduzir as taxas de infertilidade e engravidar:

Aproveite o período fértil

O ideal é que o casal mantenha relações em dias alternados durante o período fértil. Para calcular o período fértil, determina-se o primeiro dia da menstruação como o primeiro dia do ciclo. Em um ciclo de 28 dias, a ovulação tende a ocorrer ao redor do 14º dia do ciclo. Alterar os dias pode melhorar a qualidade do sêmen e ajudar na fecundação.

Pare de tomar pílula

Se você toma pílula ou usa outros métodos contraceptivos, faça uma pausa e procure ter relações no período fértil após a interrupção desses métodos. É importante o casal manter as relações sexuais para aumentar as chances de concepção.

Estilo de vida

Corte o cigarro e o álcool e proteja-se das toxinas. Faça exercícios físicos ou uma caminhada três vezes por semana. Invista em hábitos saudáveis.

Faça uma boa alimentação

Quando acontecer a gravidez, o seu bebê irá precisar de todos os nutrientes para crescer com saúde. É importante a mudança de hábito alimentar nesta fase: opte por vitaminas, minerais, proteínas, ômega 3 e vitamina D.

Mantenha a consulta em dia

Não deixe de consultar o seu ginecologista; problemas de rotina e fatores psicológicos podem estar atrapalhando a concepção. Fique atenta a qualquer sinal e não hesite em procurar o seu médico.

Fonte: Ginecologista Dr. Joji Ueno (CRM 48.486), Doutor em Medicina pela Faculdade de Medicina da USP, responsável pelo setor de Histeroscopia Ambulatorial do Hospital Sírio-Libanês e Diretor na Clínica Gera.

aviso-portal