Publicado em Pais em 11/07/2016

O seu filho está crescendo na velocidade da luz. O tempo passa rápido e um dos assuntos que deixa os papais preocupados em relação ao futuro da criança é a educação.

Hoje em dia, os papais podem não somente guardar dinheiro para a educação de seu filho, como também ter bons rendimentos até lá. Por isso, é preciso avaliar as diversas alternativas de investimento e escolher a melhor opção, de acordo com as suas possibilidades. O importante não é a escolha, mas sim o tempo. Sendo assim, quanto antes começar a investir no futuro do seu filho, melhor para ele e toda a família.

Poupança

Por ser mais simples, a maioria dos pais recorre à poupança para poupar dinheiro para a educação da criança. Porém, apesar de não ter taxas nem impostos, o rendimento da poupança é considerado baixo quando comparado a outros tipos de investimentos. Em momentos de alta inflação no país, à medida que a taxa de juros sobe, a poupança fica ainda menos atrativa, pois não acompanha a elevação. Ainda assim, esta opção não pode ser totalmente descartada.

Investimento mínimo ideal: R$ 50,00 a R$ 100,00 por mês.

Renda fixa

O tesouro direto é um tipo de investimento de renda fixa, mas com taxas que podem apresentar variações. Funciona como um empréstimo para o governo, que utiliza o dinheiro de títulos públicos que foram comprados (Tesouro Direto) em atividades como educação, saúde e infraestrutura. Qualquer pessoa pode adquirir títulos públicos. O dinheiro investido tem rendimento de acordo com a escolha do investidor, com taxas prefixadas ou, no caso de taxa Selic, pós-fixadas (taxa de juros básicos da economia). É necessário também escolher a data de vencimento, que é o dia do resgate do dinheiro.

Investimento mínimo ideal: R$ 600,00.

Renda variável

Outra opção para quem quer ter dinheiro no futuro para o filho é a renda variável, como investimento em ações na bolsa de valores ou câmbio, que não tem cálculo de rendimento predefinido, ou seja, não é possível saber quanto o dinheiro aplicado pode render. Ainda assim, investir em ações permite retornos maiores que a renda fixa, como no caso de Tesouro Direito.

Investimento mínimo ideal: R$ 5.000,00.