Publicado em Tecnologia em 24/08/2016

É fato que o uso da tecnologia tem influenciado o dia a dia das pessoas no mundo todo, e as crianças não ficam de fora dessa. A maneira como essa realidade é encarada pelos pais é essencial para o desenvolvimento do pequeno. Os brinquedos eletrônicos, como os videogames e tablets, podem contribuir no desenvolvimento infantil e ter benefícios educacionais, porém, o problema está no uso exagerado desses brinquedos. Os pais precisam orientar e estabelecer regras e limites. É importante que a criança faça outras atividades, como passear, brincar, interagir com os coleguinhas ao vivo e utilizar brinquedos que não sejam virtuais.

Uma das principais dúvidas em relação ao assunto é quando introduzir os brinquedos eletrônicos, principalmente os tablets infantis. Há fabricantes que desenvolvem dispositivos educativos pensando nos bebês, com sons de animais, primeiras palavras, ensinando letras e números e até mesmo com uma tecnologia que permite aumentar a complexidade do aprendizado. Os brinquedos eletrônicos educativos estimulam o contato com as cores, a audição e a concentração, mas devem ser usados com moderação para não prejudicar o desenvolvimento saudável de habilidades, como criatividade e autocontrole. O ideal é que a criança também tenha contato com sons naturais, não só eletrônicos.

O brinquedo eletrônico ideal para cada idade

0 a 5 meses

Com os brinquedos eletrônicos educativos, as crianças aprendem brincando. No primeiro mês de vida, a criança já reage a sons; no segundo, segue objetos com os olhos; no terceiro, começa a levar tudo à boca. Os brinquedos musicais com sons moderados são indicados nessa fase.

6 meses a 1 ano

Com seis meses, o bebê já levanta e controla o movimento da cabeça e do pescoço e começa a reconhecer as cores. São ideais: brinquedos que emitem sons ao “apertar”, “empurrar” ou “girar” os botões. Com um ano, começa a imitar a ação dos adultos, boa fase para o telefone de brinquedo.

1 a 2 anos

Nessa fase, a imitação continua a fazer parte da rotina da criança e os brinquedos eletrônicos que estimulam a repetição de sons e palavras são indicados. Ainda assim, a conversa com os papais é a melhor maneira de estimular a aprendizagem da fala, já que o pequeno recebe outros estímulos.

2 a 3 anos

A partir dos 2 anos, a criança passa a identificar as cores e os formatos. Os brinquedos musicais são ótimos para estimular a aprendizagem do pequeno, mas devem ser alternados entre eletrônicos e não eletrônicos. Brinquedos com frases também são indicados para essa fase.

3 a 4 anos

Até 4 anos, a criança passa a ter noção de causa e consequência e vai aperfeiçoando a coordenação motora, a fala, a memória e o raciocínio. Os laptops infantis, além de divertirem as crianças, são brinquedos educativos que estimulam ainda mais essa fase de muito aprendizado.

4 a 6 anos

Nesse período, os brinquedos que estimulam o raciocínio podem ser introduzidos. Esta é a fase do faz de conta, da imaginação e do desenvolvimento da criatividade. Os brinquedos que estimulam a fantasia são ideais, como instrumentos musicais, caixa registradora e telefone de brinquedo.

Acima de 6 anos

Com 6 anos, os brinquedos que ajudam no estímulo à criatividade, imaginação e raciocínio lógico são os mais indicados. Os jogos eletrônicos e os videogames podem ser introduzidos nessa fase.

Especialistas recomendam que a criança não fique mais de 2 horas utilizando esses tipos de aparelho e que o uso deve ser assistido pelos responsáveis. É importante ficar atento à idade permitida para cada brinquedo.