Publicado em Comportamento em 29/11/2016

A crise dos 2 anos de idade, conhecida como “adolescência do bebê”, pode começar por volta de 1 ano e meio e pode se estender até os 4 anos. É chamada também de “terrible two”, que na tradução significa “os terríveis dois anos”. A fase dos 2 anos de idade é um período de grandes mudanças para a criança. Durante esse período, ela começa a ganhar autonomia e a se reconhecer como indivíduo. Ela entende que já pode tomar suas próprias decisões e fazer suas escolhas. Mas, para conseguir que seus desejos sejam atendidos, ela pode gritar, espernear, se jogar no chão e até mesmo bater no outro ou em si própria. Não é exatamente uma ação consciente da criança, mas uma tentativa de atender a esse desejo interior, a essa descoberta de autonomia, como um ser independente dos pais. Por mais incrível que pareça, este comportamento é bem comum e tem variações de criança para criança, ou seja, pode ser mais ou menos acentuado.

Birra pra lá, birra pra cá

Nessa fase, a criança fala “não” repetidamente e encara a oposição dos pais com bastante rebeldia, o que explica a comparação com um adolescente. No intuito de chamar a atenção dos pais, quando contrariada, chora de maneira escandalosa, com berros, chutes e palmadas. A diferença entre a crise na infância e na adolescência é que os pequenos são plenamente imaturos, não têm conhecimento sobre comportamentos adequados e inadequados. Portanto, precisam ser ensinados, e isso requer bastante paciência e dedicação por parte dos pais, da família e da escolinha, se for o caso.

Lado positivo

Apesar de ser um estágio difícil, a fase dos 2 anos é de muito aprendizado para o filho e também para os pais. A criança começa a ter interesses próprios, a brincar com mais pessoas, a tomar pequenas decisões e a explorar a criatividade, o que contribui para o seu desenvolvimento saudável. Já os pais passam a reconhecer o filho como um ser individual, com personalidade própria, com defeitos e qualidades que podem ou não se modificar com o passar dos anos.

Como amenizar

A crise dos 2 anos é complicada e costuma deixar mamães e papais apreensivos, ansiosos ou exaustos. Porém, acalmar os ânimos é indispensável para minimizar os problemas causados pelo comportamento da criança nessa fase. É preciso ter calma e muita paciência para ensiná-la, ao mesmo tempo em que é preciso estabelecer limites, mas evite sempre os castigos físicos. Nesse momento, a agressividade deve ser dispensada, pois a criança precisa compreender que a violência não é um comportamento aceitável. Procure observar o comportamento do seu filho, pois há a possibilidade de esse comportamento estar relacionado a algum problema emocional. Neste caso, procure a ajuda de um especialista; é fundamental para ajudar a criança e os pais a passar por esta fase.

Outra atitude que deve ser evitada é atender ao pedido da criança só para que ela pare de chorar ou de gritar. Respire fundo, mamãe, e não entre na pilha! Gritar com o filho pode piorar a situação. Diante desse cenário, procure esperar o chororô e, assim que o pequeno estiver mais calmo, converse com ele. Explique que esse tipo de conduta é prejudicial apenas para ele. Converse quantas vezes forem necessárias! As situações frustrantes são importantes para o desenvolvimento da criança e poupá-la na infância pode dificultar a lidar com determinados acontecimentos na fase adulta. Lembre-se de que tudo faz parte de um aprendizado muito valioso.