Publicado em Vacinas em 03/10/2016

A vacina é muito mais que um simples parceiro. Ela é amiga pra toda hora, pois oferece imunização, protegendo crianças, adultos e idosos contra diversas doenças causadas por vírus e bactérias.

Mas por que a vacina é tão eficaz e imprescindível para uma vida saudável de um bebê, por exemplo? Muito simples. A vacina é feita com os próprios microrganismos que causam as doenças, porém sem poderes de ataque. Com isso, a pessoa passa a ter anticorpos já conhecidos das doenças, facilitando na queda-de-braço com a enfermidade.

A vacina inibe o desenvolvimento da doença, pois forma anticorpos contra ela, mesmo se entrar em contato com o microorganismo “forte” da doença.
Portanto, vacinar seu filho é mais que uma questão de preocupação com a saúde do pequeno. É uma forma de demonstrar amor e proteção. Só dessa forma ele estará protegido contra doenças que nem sempre têm cura. Todos os anos, 3 milhões de vidas são salvas por causa das vacinas.
Quer mais vantagens da vacina? – As vacinas são mais eficazes no controle das doenças do que a medicação usada para a cura, além de serem um método mais barato para controle da saúde pública.

Outro ponto importante das vacinas é fazer com que os microorganismos não fiquem resistentes aos antibióticos. Quanto maior o uso das vacinas, menor o número de casos de doenças, menor a quantidade de antibiótico usada e, assim, menor o número de microorganismos mutantes resistentes ao remédio.
Toda criança precisa de “vacina” de carinho eterno. Por isso, pais, sigam rigorosamente o calendário de vacinação e não percam datas importantes de vacinação.

screen-shot-2016-10-03-at-1-58-57-pm

Saiba mais:
BCG
Previne contra: Formas graves de Tuberculose (Meniningite tuberculosa, Tuberculose Miliar ou Sistêmica)
Forma de aplicação: injeção
Reações mais comuns e o que pode aliviar: erupções no local. A casquinha não deve ser tirada na hora do banho.
Quando é melhor adiar a vacinação: nos recém-nascidos com menos de 2kg e quando houver lesões na pele
Continuidade: reforço entre 6 e 10 anos – Norma do Ministério da Saúde, de 1995
Hepatite B
Previne contra: Hepatite B
Forma de aplicação: injeção, em geral na face lateral da coxa
Reações mais comuns e o que pode aliviar: febre e (raramente) dores locais. Acima de 38º, usar antitérmicos. Aplicar compressas geladas no local.
Quando é melhor adiar a vacinação: nos quadros infecciosos febris

Tríplice
Previne contra: Difteria, Tétano e Coqueluche
Forma de aplicação: injeção no bumbum e na coxa
Reações mais comuns e o que pode aliviar: febre, dor e carocinho no local nas primeiras 48 horas depois. Acima de 38º, usar antitérmicos. No local, compressas de gelo, sem massagear. (A Vacina Tríplice Acelular não apresenta reação).
Quando é melhor adiar a vacinação: nos casos de febres e convulsões
Continuidade: De 10 em 10 anos, contra difteria e tétano

Vacina anti-pólio
Previne contra: Paralisia Infantil
Forma de aplicação: duas gotinhas, via oral
Reações mais comuns e o que pode aliviar: diarréia. Usar vacina pentavalente injetável. Já existe a vacina anti-pólio injetável, associada, na mesma injeção, à DPT e à Hemophilus
Quando é melhor adiar a vacinação: de modo geral, não há contra-indicação, mas em caso de febre alta, é melhor adiar. Vômitos e diarréia, embora não contra-indiquem, complicam a aplicação

Hemophilus B
Previne contra: Meniningite bacteriana, Pneumonia e outras infecções
Forma de aplicação: injeção intramuscular (pode ser na coxa)
Reações mais comuns e o que pode aliviar: acima de 38º, usar antitérmicos
Quando é melhor adiar a vacinação: nos casos de febre

Gripe
Previne contra: Gripe
Forma de aplicação: injeção
Reações mais comuns e o que pode aliviar: dor no local e febre. Acima de 38º, antitérmicos
Quando é melhor adiar a vacinação: nos casos de febre e infecção viral ativa
Continuidade: fazer reforço anual

Varicela
Previne contra: Catapora
Forma de aplicação: injeção, geralmente no bumbum
Reações mais comuns e o que pode aliviar: dor, manchas no local e febre baixa. Acima de 38º, usar antitérmicos. Compressas frias
Quando é melhor adiar a vacinação: nos casos de febre ou erupções na pele
Continuidade: reforço entre os 12 e 15 anos

Tríplice viral
Previne contra: Caxumba, Rubéola, Sarampo
Forma de aplicação: injeção, geralmente no bumbum
Reações mais comuns e o que fazer: coriza, febre baixa. Acima de 38º, usar antitérmicos. Compressas frias
Quando é melhor adiar a vacinação: em caso de febre alta
Continuidade: reforço entre 4 e 6 anos

Hepatite A
Previne contra: Hepatite A
Forma de aplicação: injeção
Reações mais comuns e o que fazer: dor local. Aplicar compressas frias
Quando é melhor adiar a vacinação: nos casos de febre, icterícia, vômitos ou suspeita de doença hepática

Meningite meningocócica
Previne contra: Meningite causada pelos sorotipos B e C
Forma de aplicação: injeção
Reações mais comuns e o que fazer: dor no local e febre. Acima de 38º, antitérmicos. No local: compressas frias
Quando é melhor adiar a vacinação: nos casos de febre, erupções na pele, vômitos e dor de cabeça
Continuidade: fazer reforço bianual

Antipneumocócita
Previne contra: Infecções bacterianas (Pneumonia)
Forma de aplicação: injeção
Reações mais comuns e o que fazer: dor no local e febre. Acima de 38º, usar antitérmicos
Quando é melhor adiar a vacinação: nos casos de febre e infecções agudas, como otite, gripe, etc

Não percam as datas importantes da vacina, seu filho merece ter saúde para viver feliz!
aviso-portal