Publicado em Saúde do Bebê em 03/10/2016

O famoso sapinho é uma infecção causada pelo fungo chamado Candida albicans. Aparece como manchas brancas na parte interna da bochecha, no céu da boca e às vezes na língua do bebê. As lesões da candidíase oral são mais comuns nas laterais da boca, e às vezes doem bastante.

Meu bebê tem sapinho, e agora?

O maior problema é a boca do bebê doer demais e ele não conseguir mamar. O primeiro sinal pode ser o fato de o bebê chorar quando mama. É difícil ver o bebê com fome e chorando de dor para mamar. O consolo é que ela costuma passar rápido. Algumas vezes, porém, o bebê pode não dar grandes indicações de dor ou irritabilidade, mas o aleitamento fica prejudicado. Este problema é mais comum em bebês de até 2 meses de idade, mas pode aparecer em crianças mais velhas também.

Mas por que ele aparece?

O fungo está presente no sistema digestivo de todo mundo, mas, quando há um desequilíbrio, essa presença se transforma em infecção. Os principais causadores desse desequilíbrio são mudanças hormonais ou uso de antibióticos, seja pelo bebê ou pela mãe, no caso de criança que mama no peito. Há bebês que simplesmente são mais suscetíveis que outros à ação do fungo.

Nos primeiros meses de vida estão mais sujeitos pelo fato de ainda não terem o sistema imunológico totalmente desenvolvido, facilitando o contágio. Além disso, os pequenos têm o hábito de botar tudo o que veem pela frente na boca, um comportamento de risco quando o assunto é sapinho.

Dicas de cuidados

Alguns especialistas recomendam que a boquinha do bebê seja limpa após cada mamada, para eliminar os resíduos de leite.

Os médicos também orientam que as mães que amamentam deixem os mamilos tomar um pouco de ar entre as mamadas para evitar a micose. Essa medida é especialmente importante quando já se está com a infecção, pois a umidade é o ambiente ideal para a proliferação dos fungos.

Para evitar o sapinho, é necessário cuidar da higiene oral do bebê. Evite o contato de crianças não infectadas com acessórios da criança com sapinho. Mantenha a higiene das mãos e das bocas de todas as pessoas que convivem na casa.

Procure um pediatra

Caso ele esteja mesmo com sapinho, leve-o ao pediatra. Em aproximadamente uma semana o seu bebê estará ótimo. O diagnóstico é feito basicamente por meio de exame clínico e histórico do paciente. É importante ressaltar que mesmo que as manchas já tenham desaparecido, o tratamento deve continuar pelo tempo recomendado; interrompê-lo antes do tempo pode fazer o problema voltar.

Às vezes, os médicos recomendam a aplicação de uma pomada antifúngica nos mamilos da mulher caso ela esteja amamentando, para que a infecção não fique passando do bebê para a mãe e da mãe para o bebê.

Atenção: em nenhuma circunstância os pais devem tentar raspar a área atingida, isto só traria mais dor e desconforto.

aviso-portal