Publicado em Saúde do Bebê em 21/05/2016

Popularmente conhecida como “amarelão”, a icterícia é diagnosticada nas primeiras horas de vida e acontece por conta da quantidade insuficiente de glóbulos vermelhos e da imaturidade do fígado do recém-nascido, que ainda é incapaz de eliminar uma enzima chamada bilirrubina, que deixa pele e olhos do bebê com coloração amarelada. Prematuridade, incompatibilidade sanguínea entre mãe e bebê e diabetes gestacional são causas que aumentam as chances de o bebê nascer com icterícia.

Fototerapia
A fototerapia é o tratamento mais recomendado para bebês com forte icterícia, que consiste em uma aplicação de luz fluorescente que favorece a eliminação da enzima. Outro tratamento frequente contra icterícia é o leite materno, ou seja, a mamãe precisa amamentar o bebê para ajudá-lo ainda mais nesta empreitada. Quando não for possível amamentar o bebê durante a fototerapia, a ordenha do leite materno é a melhor solução.

Banho de sol em bebês
O sol também é um poderoso aliado do tratamento contra icterícia. Curtos banhos de sol fraco são recomendados, mas com atenção aos horários indicados pelo pediatra.