Publicado em Primeiros Passos em 16/09/2016

Uma das principais dúvidas dos papais, principalmente os de primeira viagem, é quando começar a tirar a fralda do bebê. Especialistas recomendam que a fralda seja tirada por volta dos 2 anos, mas cada criança tem seu tempo e forçar o processo pode tornar a transição ainda mais demorada. Além disso, o desfralde antes do tempo pode causar problemas como prisão de ventre, dificuldade para esvaziar a bexiga e até mesmo trauma psicológico. Fique calma: com paciência, dedicação e criatividade, o momento do desfralde será repleto de descobertas e aprendizagem tanto para o filho quanto para os pais.

Como saber se chegou a hora?

O controle do xixi e do cocô depende de fatores biológicos, ou seja, acontece com o amadurecimento do sistema digestório, responsável pela digestão e eliminação dos alimentos, e com o sistema urinário, responsável pela remoção de substâncias através da urina. Para saber se o pequeno está mais preparado para o desfralde, é importante se atentar a alguns sinais, como fralda seca por mais de três horas, bastante xixi de uma só vez, cocô mais consistente e feito quase sempre no mesmo horário.

A criança costuma ainda demonstrar que está incomodada com a fralda molhada ou suja e manifesta curiosidade em relação aos hábitos de higiene quando vê o papai ou a mamãe no banheiro. Ela também fala que está com vontade de fazer xixi ou cocô antes mesmo de começar a fazê-los. Pergunte várias vezes se o pequeno quer ir ao banheiro, estimulando-o a usar o penico ou vaso com redutor, em vez de fazer as necessidades na fralda. Nessa fase, é recomendado permanecer com a fralda noturna.

 Troninho x redutores

Para esta fase de adaptação, é indispensável usar troninho ou redutor de assento, que são desenvolvidos especialmente para a fase de transição. Primeiro, é indicado utilizar o troninho, conhecido também como penico e, mais à frente, o redutor de assento ou adaptador para vaso sanitário. O troninho pode ser levado a qualquer lugar da casa e permite apoiar os pezinhos no chão, o que torna a hora do xixi ou cocô mais fácil. Há modelos bem atrativos para os bebês, com formato de animais e até mesmo que tocam músicas.

Já o redutor de assento ou adaptador de vaso é ideal para as crianças que já aprenderam a usar o troninho e agora estão mais seguras e independentes. Os modelos com personagens tornam a ida ao banheiro mais divertida. Na hora da compra, opte por modelos práticos e fáceis de limpar. Para aproveitar ainda mais esses acessórios de transição, vale criar situações divertidas que ajudem a atraí-lo, como simular uma historinha, dar “tchau” para o cocô na hora da descarga, e por aí vai. O importante é tornar o momento prazeroso e sem dramas.

No início, é natural que o filho sinta dificuldade para se adaptar à nova fase, faça xixi nas calças ou até mesmo chore em alguns momentos. Por isso, com paciência e dedicação, ajude-o a se acostumar com a nova rotina. Vale também contar com a ajuda da vovó, da titia e, se for o caso, da professora na escolinha. Na hora do desfralde, todo apoio é essencial. Cada criança tem o seu tempo e o seu jeito, por isso, converse sempre com o pediatra, ele poderá ajudar nessa fase.