Publicado em Primeiros Passos em 28/04/2017

Quando o bebê completa o segundo ano de vida, passa a ser uma criança mais independente e ativa. Ela começa a explorar regras e limites dados pelos pais e as suas próprias, de caráter físico, emocional e cognitivo, ocupando grande parte de seu tempo na descoberta da vida!

Capacidades motoras e físicas

  • Altura entre 85 e 88 cm;
  • Peso entre 16 e 18 kg;
  • Necessidade de dormir entre 10 e 12 horas todas as noites.

As crianças com 2 anos já estão mais confiantes nas suas capacidades físicas, mas ainda não têm noção dos seus limites. Algumas são mais tímidas e cautelosas, mas quase todas gostam de se arriscar e se aventurar. Nesse momento, as crianças preferem correr na direção contrária à esperada, balançar, subir em objetos e usar brinquedos que possam ser empurrados com as mãos ou pés (ainda não usam os pedais), o que aumenta o risco de acidentes. Deve-se supervisioná-las para que não corram muito longe ou subam em lugares muito altos. Nesse período do desenvolvimento infantil, o adulto pode ajudá-las a desenvolver as suas potencialidades em um local seguro para brincar e que também ofereça aprendizagem. Nesse período, a criança:

  • é capaz de ficar nas pontas dos pés;
  • passa a correr cada vez mais rápido;
  • sobe e desce escadas agarrada ao corrimão;
  • sobe e desce dos lugares sem ajuda;
  • atira uma bola por cima da cabeça;
  • chuta bola.

Capacidades comunicacionais e linguísticas

Entre 2 e 3 anos de idade, a linguagem das crianças se desenvolve muito rapidamente. Em consequência, os pais passam a ter uma melhor noção do que a criança pensa e ficam encantados com a ideia de poder manter uma conversa com o filho. Frequentemente, as palavras ou frases soltas faladas pela criança não têm qualquer sentido para os adultos, no entanto, com o tempo, fica claro que quanto mais ela fala e se dá bem nessa comunicação, mais vai querer se comunicar com os outros. É indicado que os pais sejam cuidadosos no uso da sua linguagem, particularmente no que se refere ao uso de palavras que negam tudo o que a criança faz, pois criam um efeito forte sobre o modo como esta vê a si mesma e o mundo. Os pais precisam não retratar um mundo em que nada é permitido; devem procurar, sempre que possível, os aspetos positivos dele. Nessa fase, a criança:

  • presta atenção naquilo que está sendo nomeado;
  • identifica os nomes de pessoas conhecidas;
  • sabe as partes do corpo;
  • fala frases (entre 2 a 4 palavras);
  • atende a instruções simples;
  • repete o que ouve em uma conversa;
  • aponta ilustrações de um livro.

Capacidades de caráter cognitivo

O mundo é um lugar grande e complicado para as crianças de 2 anos, que tentam arduamente compreender como é o funcionamento dele. Visto que muito ainda é totalmente desconhecido por elas, essa descoberta acaba sendo uma mistura de realidade e imaginação. Explicações simples de questões complexas serão muito úteis nessa fase em que a pergunta mais frequente é: “por quê?”. A partir dos 2 anos de idade, a criança:

  • descobre coisas até mesmo quando escondidas sob outros objetos;
  • inicia a classificação de formas e cores;
  • consegue terminar frases e rimas em livros infantis;
  • sabe participar de brincadeiras de faz de conta;
  • monta torres de quatro ou mais blocos;
  • segue instruções que exigem duas etapas;
  • dá nomes a itens em um livro de imagens.

Capacidades emocionais e sociais

Com 2 anos, as crianças estão em uma fase crítica de aprendizagem nos seus relacionamentos sociais e familiares. Raramente são capazes de imaginar como as outras pessoas se sentem, no entanto, muitas vezes, os seus próprios sentimentos de ciúme e paixão para com os seus próximos são tão intensos que se colocam à frente de quaisquer considerações pelos sentimentos alheios. Nessa etapa da vida, elas começam a se conter e a esconder seus sentimentos, tendo uma sensação negativa com elas próprias quando pensam ter feito algo errado. Nessa idade, as crianças ainda estão aprendendo a se ver como indivíduos, sentindo, com frequência, a necessidade de dizer “não”. Algumas vezes já sabem exatamente o que querem e, por essa razão, parecem muito autoritárias, ficando frustradas quando não podem ou são impedidas de fazer algo, mesmo porque ainda não sabem administrar as suas emoções. Como resultado, as birras são bastante comuns nessa fase do desenvolvimento.

Nessa idade, elas iniciam brincadeiras com outras crianças, mas por pouco tempo, visto que têm dificuldade para dividir o que é delas. Além disso, as crianças:

  • copiam os outros, principalmente adultos e crianças mais velhas;
  • ficam empolgadas com a presença de outras crianças;
  • demonstram crescente independência;
  • evidenciam comportamentos desafiadores;
  • brincam bastante sozinhas, lado a lado com outros coleguinhas, mas já demonstram sinais de querer inclui-los em suas brincadeiras.Aviso-Portal-1