Publicado em Bebê Saúde do Bebê em 26/03/2018

A otite é uma inflamação ou infecção de ouvido que pode ser causada por vírus, bactérias ou fungos. A dor no ouvido é intensa e algumas crianças tendem a apresentar episódios recorrentes.

O problema pode ser desencadeado, principalmente, por episódios de resfriados, gripes, sinusite e adenoidite (inflamação ou infecção da carne esponjosa que impede a passagem de ar pelo nariz).

Seu bebê chora ao ser amamentado ou alimentado? Fique atenta, mamãe! O choro durante a deglutição (ato de engolir) pode ser um sinal de otite.

A otite média aguda (OMA) acomete cerca de 60% das crianças com até 6 anos de idade. Na maioria das vezes, a causa da infecção no ouvido em bebês e crianças é bacteriana. Porém, em crianças de até 2 anos, os vírus representam cerca de 40% dos casos.

De acordo com a otorrinolaringologista Jeanne Oiticica, os casos de otite média aguda (OMA) são mais evidentes entre 6 e 18 meses de idade. “Até os 3 anos, praticamente todas as crianças vão apresentar pelo menos um episódio de otite média aguda; 50% delas terão episódios recorrentes”, informa.

Sintomas

O sintoma mais evidente em bebês é a dor durante a deglutição do leite (aleitamento) ou alimento. Quando há suspeita de inflamação ou infecção no ouvido, os papais podem tocar com certa intensidade o tragus, que é a cartilagem em formato de “meia-lua” que fica acima do lóbulo da orelhinha. “A suspeita é reforçada pela reação da criança ao toque ou pressão. Ela chora, demonstra repulsa e o desconforto é visível. Ao notar esses sintomas, os pais devem procurar rapidamente o pronto-atendimento”, aconselha Jeanne.

A especialista acrescenta ainda que a dor pode interferir no sono e na rotina do bebê. A sensação de ouvido tampado e o vazamento de pus também estão entre os sintomas, além de febre, mal-estar, falta de apetite, náuseas e vômitos. “As formas recorrentes e crônicas podem ocasionar sequelas, como perda auditiva e impactos negativos nas habilidades de aprendizagem e aquisição da linguagem”, alerta.

Prevenção

Para prevenir a inflamação e a infecção de ouvido no bebês, hastes flexíveis (cotonetes) não podem ser introduzidas nas orelhinhas, especialmente após o banho. “O cotonete, ao ser introduzido no canal do ouvido, causa uma fricção local, deslocando e retirando a camada protetora produzida pelas glândulas ceruminosas, o cerume. Isso gera microfissuras na pele que podem ser uma porta de entrada para infecções por bactérias, fungos e vírus”, explica a médica.

A maneira mais eficaz de prevenir a otite em bebês e crianças é por meio da vacina pneumocócica conjugada, com primeira dose administrada aos 2 meses de vida. A imunização contém sorotipos da bactéria Streptococcus pneumoniae, causadora da otite média aguda, meningite, pneumonia, entre outras doenças. A prevenção da otite inclui também o tratamento precoce de gripe, resfriado, adenoide, alergias, rinite e sinusite, para evitar que a doença se alastre e ocupe a orelha.

Tratamento

O tratamento da otite média aguda pode ser feito com uso de antibióticos, corticoides, gotas tópicas no ouvido, analgésicos e anti-inflamatórios. “Em alguns casos, a cirurgia faz-se necessária. A escolha pelo processo cirúrgico depende da recorrência dos sintomas e do impacto direto na fala, linguagem, sono e qualidade de vida da criança”, finaliza Jeanne. Procure o pediatra da criança para mais informações.

Jeanne Oiticica é otorrinolaringologista e chefe do grupo de pesquisa em zumbido do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (USP).